Home GIRO BRASIL Ronaldo é um “fenômeno” do oportunismo

Ronaldo é um “fenômeno” do oportunismo

66

Outro dia Ronaldo apareceu ao lado de João Dória, atual prefeito de São Paulo e centrado em tentar candidatura à presidência do País ano que vem, embora não tenha ainda apresentado uma ação sequer de impacto na capital paulista que o credencie para tal, nessa sua primeira incursão oficial no mundo político.

Vale lembrar que o ex-jogador não é um bom amuleto para um candidato – vide Aécio Neves. De qualquer forma, Ronaldo tem se engajado mais na política, defendeu a queda de Dilma e se eximiu da culpa de tê-la como presidenta (agora deposta) pelo fato de ter votado em Aécio, hoje comprovadamente envolvido em corrupção para o espanto da maioria dos brasileiros.

Quando encerrou a carreira no Corinthians, o Fenômeno se tornou embaixador do clube – ganhando inclusive por isso. Posou por pelo menos dois anos como corintiano de quatro costados, quando até onde se sabe, antes dele ir para o Corinthians, torcia pelo Flamengo, de sua terra natal.

Na última Copa do Mundo, passou de entusiasta da competição no Brasil e garoto-propaganda a crítico da organização (antes mesmo dela começar), o que acabou parecendo um profundo complexo de vira-lata do ex-jogador por que, no fim, o torneio acabou se tornando um sucesso, a despeito das tensões no País pré-Mundial.

Quando se aposentou no Timão, anunciou a fundação de uma empresa de marketing esportivo, a 9nine – ano passado encerrou a companhia (após desentendimentos e mudança de foco) para assumir outra logo depois com atuação no mesmo negócio, a Octagon.

O clube Fort Laurderdale Strikers, que tem o craque como sócio, vive crise financeira desde o ano passado, com atrasos de pagamento de salários e incerteza se o Fenômeno larga ou não o negócio – enfim, o sonho de crescer no ascendente mercado de futebol naquele país virou dúvida.

Ronaldo é parceiro atualmente de uma empresa de games eletrônicos – seus sócios são envolvidos no jogo de pôquer, assim como ele. Pouco tempo atrás abriu uma academia – baseada em escolinha de futebol – nos Estados Unidos com investimento milionário. Ele se mantém com uso de sua imagem e patrocínios, envolvendo altas cifras.

O Fenômeno mistura muito negócios e oportunismo. Vai mudando de acordo com as circunstâncias, atendendo a interesses momentâneos. É intrigante, quando a maioria dos empresários visionários pensam a longo prazo – além de manter uma distância segura da política, principalmente nos dias de hoje.