Home AMAX

É com pesar e tristeza que a Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (ACEA) comunica o falecimento do ex-árbitro e treinador José Ribamar Pinheiro de Almeida, 69 anos, ocorrido na manhã desta segunda-feira (2), em Rio Branco.

O ex-árbitro passava por tratamento de saúde desde 2015, após ser acometido de um câncer de próstata. Riba, assim como era chamado carinhosamente pelos amigos, deixa a esposa Eliana e os filhos Márcia Barrozo, Marcela Barrozo e Murilo Augusto.

Natural da cidade de Xapuri, cidade localizada a 180 quilômetros de Rio Branco, José Ribamar tinha formação em direito pela Universidade Federal do Acre e desde 1997 era aposentado da Advocacia-Geral da União (AGU).

No entanto, a popularidade de José Ribamar se deu mesmo foi dentro dos gramados. Ora como árbitro – um dos maiores de nosso futebol , ora, como treinador. Na segunda função adorava montar equipes competitivas e, para isso, não media esforços, inclusive tirando dinheiro do próprio bolso.

Na mídia esportiva foi comentarista em várias oportunidades. Era autêntico e língua solta, não só no microfone, mas também na arbitragem e à beira do gramado. Enfim, Ribamar era mesmo uma “figuraça”.
Que Deus possa, pela sua misericórdia, perdoar suas falhas e recebê-lo de braços abertos em seu trono celestial, bem como confortar parentes e amigos!

Que descanse em PAZ!

MANOEL FAÇANHA

O salão de festa do Best Western Plus Gran Lumni Hotel recebeu na noite da última quinta-feira (16), a festa de entrega da premiação dos melhores do Campeonato Acreano. O evento ainda contou com o lançamento da sexta edição do ‘Futebol Acreano em Revista, obra de responsabilidade da Federação de Futebol do Acre.

O meia-atacante Polaco, além de melhor meia da competição, levou o troféu de craque do estadual. Foto/Manoel Façanha

O meia-atacante Polaco, além de melhor meia da competição, levou o troféu de craque do estadual. Foto/Manoel Façanha

Com sete jogadores na lista dos melhores do estadual, o Atlético-AC ainda levou a premiação do craque e revelação do campeonato, respectivamente Polaco e Pisika. O treinador celeste Álvaro Miguéis foi outro premiado da noite. O árbitro Carlos Ronne Casas e os assistentes Rener Santos e Jean Carlos também foram agraciados com troféu de melhores da temporada.

O presidente celeste Edson Izidório olha atentamente um exemplar da revista da Federação de Futebol do Acre. Foto/Manoel Façanha

O presidente celeste Edson Izidório olha atentamente um exemplar da revista da Federação de Futebol do Acre. Foto/Manoel Façanha

Os premiados

Goleiro: Máximo (Galvez)
Lateral-direito: Ley (Rio Branco-AC)
Lateral-esquerdo: Alfredo (Atlético-AC)
Zagueiros: Pé de Ferro e Diego (Atlético-AC)
Volantes: Leandro (Atlético-AC) e Olliver (Galvez)
Meias: Josy e Polaco (Atlético-AC)
Atacantes: Tonho Cabañas (Galvez) e Eduardo (Atlético-AC)
Revelação: Psica (Atlético-AC)
Técnico: Álvaro Miguéis (Atlético-AC)
Craque do Campeonato: Polaco (Atlético-AC)
Árbitro: Carlos Ronne
Auxiliares: Rener Santos e Jean Carlos

O futebol acreano terá uma parada de dois meses e retorna somente dia 19 de fevereiro, quando será dado pontapé inicial no Campeonato Acreano. São sete competições programadas para o calendário local: além do estadual profissional (entre fevereiro e 10 de maio), serão realizados o Acreano Sub-19 (28 de maio a 6 de agosto), Acreano da 2ª divisão (20 de agosto a 28 de outubro), Acreano Sub-17 (10 de setembro a 21 de outubro), Torneio Sub-13 (12 de outubro), Acreano Sub-15 (21 de outubro a 19 de novembro) e Acreano Feminino (11 de outubro a 13 de dezembro).

O Acre terá ainda representantes em competições nacionais. Atlético-AC e Galvez jogam a Copa Verde. O Galo Carijó, ao lado do Rio Branco, disputam a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro da Série D.

DA REDAÇÃO

A festa de premiação dos melhores do Campeonato Acreano 2016 e o lançamento da 6ª edição da revista da Federação de Futebol do Acre (FFAC) ocorrem na noite de hoje (15), às 20h, no Best Western Plus Gran Lumni Hotel.

Um dos momentos mais esperado pelos convidados será o lançamento da 6ª edição do Futebol Acreano em Revista, obra de responsabilidade da Federação de Futebol do Acre (FFAC). A peça escrita pelos jornalistas Francisco Dandão e Manoel Façanha conta com 100 páginas de puro futebol, constando entrevistas com ex-craques e personalidades que ajudaram e ajudam a manter viva a chama futebolística em nosso estado. A peça também traz todo o calendário de atividade da entidade, com competições locais e nacionais.

Homenagem

A revista também traz todo o calendário de atividade da entidade. Foto/Divulgação

A revista também traz todo o calendário de atividade da entidade. Foto/Divulgação

A revista faz nesta edição uma homenagem ao goleiro Weverton. Uma crônica escrita pelo jornalista Francisco Dandão enaltece a participação do goleiro acreano na conquistado do ouro olímpico nas Olimpíadas do Rio. O arqueiro confirmou presença na festa.
A obra ainda traz entrevistas com alguns ex-jogadores: Pintinho, Palmiro, Rogério Tarauacá, Benevides, Gaúcho Lima, ex-Grêmio e Botafogo-RJ, Roberto Pitola, Mariceudo, além do ex-jogador e músico Elísio Mansour e tantos outros personagens.
Também nesta edição de 2016, a revista abriga ainda matérias com os “personagens da crônica” Alberto Casas e Paulo Henrique Nascimento, e ainda traz uma matéria com o craque da atualidade Alcione. O ex-árbitro uma Marcos Barros Café é outra personagem da peça este ano.
.
Premiação dos melhores

A festa de encerramento das atividades será aberta com a entrega da premiação da seleção do Campeonato Acreano 2016. Nesta temporada, o Atlético Acreano fez barba, cabelo e bigode, com sete nomes na seleção: Alfredo (lateral esquerdo), Diego e Pé de Ferro (zagueiros), Leandro (volante), Josy e Polaco (meias) e Eduardo (atacante). O goleiro Máximo (Galvez) conquistou o posto de melhor arqueiro do torneio de forma unânime, com 15 votos.

O clube celeste ainda emplacou o craque e a revelação do torneio. Polaco teve 10 dos 15 votos, superando o companheiro de equipe Josy (4 votos) e o estrelado Ley, esse com um voto. Numa disputa acirrada com Olliver (Galvez), Pisika levou a melhor por um voto (5 contra 4). Mustafa Júnior ficou em terceiro com dois votos. O meia Careca (Galvez) e o goleiro andiraense Hebert dividiram a quarta posição com um voto cada. O posto de melhor técnico da temporada coube ao professor Álvaro Miguéis (Atlético Acreano). O profissional recebeu 14 votos, contra apenas um de Edson Júnior.

Com 12 votos, o árbitro Carlos Ronne acabou eleito o melhor da temporada, superando Josimar Almeida, dois votos, e Antonio Pinheiro, um voto. Numa disputa acirrada, Rener Santos, com 10 votos, Jean Carlos, oito votos, foram eleitos os melhores assistentes.

DA REDAÇÃO

A festa de entrega da premiação da seleção do Campeonato Acreano 2017 começa a ser badalada entre os quatro cantos da cidade. Os atletas premiados e demais homenageados já vivem a ansiedade do evento e comentários são comuns nas redes sociais a respeito da festa. A premiação aos melhores do estadual é organizada pela Federação de Futebol do Acre (FFAC) e corre na próxima quinta-feira (15), a partir das 20h, no Best Western Plus Gran Lumni Hotel.

A escolha da seleção do campeonato é divulgada logo após a competição pela Associação dos Cronistas Esportivos do Acre (Acea). Também são eleitos o craque e a revelação da competição, além do treinador e o trio de arbitragem. Cada escolhidos pela mídia esportiva recebe um belo troféu padronizado.

Nesta temporada, o Atlético Acreano fez barba, cabelo e bigode, com sete nomes na seleção: Alfredo (lateral esquerdo), Diego e Pé de Ferro (zagueiros), Leandro (volante), Josy e Polaco (meias) e Eduardo (atacante). O goleiro Máximo (Galvez) conquistou o posto de melhor arqueiro do torneio de forma unânime, com 15 votos.

O clube celeste ainda emplacou o craque e a revelação do torneio. Polaco teve 10 dos 15 votos, superando o companheiro de equipe Josy (4 votos) e o estrelado Ley, esse com um voto. Numa disputa acirrada com Olliver (Galvez), Pisika levou a melhor por um voto (5 contra 4). Mustafa Júnior ficou em terceiro com dois votos. O meia Careca (Galvez) e o goleiro andiraense Hebert dividiram a quarta posição com um voto cada. O posto de melhor técnico da temporada coube ao professor Álvaro Miguéis (Atlético Acreano). O profissional recebeu 14 votos, contra apenas um de Edson Júnior.

Com 12 votos, o árbitro Carlos Ronne acabou eleito o melhor da temporada, superando Josimar Almeida, dois votos, e Antonio Pinheiro, um voto. Numa disputa acirrada, Rener Santos, com 10 votos, Jean Carlos, oito votos, foram eleitos os melhores assistentes.

Revista

Também na noite da próxima quinta-feira (15) será o lançamento da 6ª edição do Futebol Acreano em Revista, obra de responsabilidade da Federação de Futebol do Acre (FFAC). A peça conta com 100 páginas de puro futebol, constando entrevistas com ex-craques e personalidades que ajudaram a manter viva a chama futebolística em nosso estado. A revista é escrita pelos jornalistas Francisco Dandão e Manoel Façanha.

MANOEL FAÇANHA

Na próxima sexta-feira (4), a partir das 16h, dirigentes do futebol local estarão reunidos nos auditório da Federação de Futebol do Acre (FFAC) para tratar da proposta de calendário da temporada vindoura. De acordo com o presidente da entidade futebolística, Antonio Aquino Lopes, participam do encontro clubes da primeira e segunda divisões.

O principal torneio do calendário, o certame profissional da primeira divisão, não tem data confirmada para o início, mas a ideia será iniciar na primeira quinzena de março. Numa contato telefônico da reportagem do Jornal Opinião com o presidente da FFAC, advogado Antonio Aquino Lopes, ele explicou que a ideia será começar a disputa do estadual da primeira divisão no mês de março, pois a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D irá ocorrer a partir do início de junho.

A respeito do número de competições organizadas pela FFAC, o dirigente explicou que não haverá mudanças. Ou seja, o calendário terá seis torneios: Primeira Divisão, Segunda Divisão, Campeonato Feminino, Sub-19, Sub-17 e Sub-15. Os clubes locais ainda participam da Copa Verde, Copa do Brasil, Copa do Brasil Feminino e Série D.

105

MANOEL FAÇANHA

Rio Branco –AC – No sábado de Aleluia, o Amax deu passo importante para sua permanência na elite do futebol local ao superar, no estádio Florestão, a equipe do Andirá por 5 a 3. Flávio, três gols, Marcelo e Alex (contra) garantiram a primeira vitória do time do interior na competição. Lilico, Branco e Gilberto descontaram para o Morcego.

Com a vitória, o time xapuriense somou os três primeiros pontos na tabela de classificação. Por outro lado, o Andirá caiu para a lanterna do torneio, com apenas um ponto ganho.

Na última rodada do primeiro turno, no próximo fim de semana, o Andirá precisa vencer o Vasco-AC, no sábado (2), às 17h45 (local), na Arena da Floresta. Por outro lado, a Amax tem duelo decisivo com o Alto Acre no domingo (3), às 16h, no estádio Florestão. Porém, caso o Morcego tropece na equipe da Fazendinha, o time xapuriense garante vaga na elite do futebol local.

 

 

 

155

MANOEL FAÇANHA

Com a saída do técnico Paulo Capão do comando técnico da Amax, o clube será comandado pelo interinamente e diretor técnico do clube, Jean Carlos Ferreira.

Na noite da terça-feira (1º), os jogadores retomaram as atividades no estádio Álvaro Felício Abrahão, em Xapuri, a 188 km de Rio Branco, já orientado pelo técnico interino.

Jean Carlos Ferreira assume o clube com objetivo de melhorar o sistema tático, em especial, o defensivo que nesta temporada já levou seis gols em dois jogos. Outro objetivo será trabalhar o lado motivacional dos atletas para transmitir segurança.

Sétima colocada na tabela de classificação, ainda sem pontuar na disputa do estadual, o Azulão xapuriense retorna a campo no próximo sábado (6) às 17h45, no estádio Florestão, para enfrentar o Atlético Acreano.

155

MANOEL FAÇANHA

O Campeonato Acreano 2016, após a segunda rodada, já conta com a baixa de três treinadores (Nelinho/Plácido de Castro, Anjo/Alto Acre e Paulo Capão/Amax). O último a abandonar o cargo é o treinador Paulo Capão. Na imprensa, o profissional alegou problema da ordem médica para deixar o comando técnico do Azulão.

Capão deixa o comando técnico da Amax após duas derrotas consecutivas na disputa do estadual. O time xapuriense estreou com derrota para o Plácido de Castro, por 2 a 1. No segundo compromisso, o Azulão, jogando dentro do estádio Álvaro Felício, na cidade de Xapuri, acabou atropelado pelo Rio Branco por 4 a 0.

Capão não nega pra ninguém que o grande problema da equipe azulina neste início de competição é a falta de experiência e a juventude dos jogadores.

Próximo jogo

A Amax volta a campo contra o Atlético-AC, sábado (5), a partir das 17h45 (local), no estádio Antônio Aquino, o Florestão, na capital. O nome do substituto ainda não foi confirmado, mas Jean Carlos deve assumir a função, de acordo com Capão.

Na tabela de classificação, a Amax é a sétima colocada no Campeonato Acreano. Sem pontos somados, o time de Xapuri está empatado com Alto Acre e Andirá, sendo superado pelo Morcego, que está em sexto, no número de marcados (dois contra um) e ficando à frente do Papagaio da Fronteira, lanterna, pelo mesmo critério (um gol marcado contra nenhum do Alto Acre).

 

101

MANOEL FAÇANHA

Com os mandos de jogos da Amax ainda não incluso na tabela de jogos do Campeonato Acreano 2016, o presidente do Azulão, Celso Garcia, declarou que irá requerer a realização dos jogos de sua equipe no estádio Álvaro Felício Abrahão, em Xapuri, a 188 km da capital.

De acordo com o dirigente, a ausência de jogos da Amax nas dependências do estádio Álvaro Felício Abrahão teria o pego de surpresa, tanto que iria reivindicar junto a Federação de Futebol do Acre (FFAC) os mandos das partidas, pois, de acordo com ele, os laudos do estádio xapuriense estão com validade até o mês de julho de 2016.

Outro lado

Em contato na tarde de segunda-feira (23) com o presidente Antonio Aquino Lopes (FFAC), ele explicou que existe um novo formulário para o funcionamento das praças esportivas e a peça está disponibilizada nos sites do Ministério dos Esportes. Com isso, segundo Lopes, todas as praças esportivas terão disponibilizar novos laudos para estar dentro da nova legislação.

Lopes explicou ainda que, caso os novos laudos do estádio Álvaro Felício Abrahão esteja dentro dos padrões exigidos pela legislação, não haverá problema para a realização dos mandos de campo da Amax.

Conforme a tabela do primeiro turno do estadual, o Azulão poderá ter três mando de campo: Rio Branco, Galvez e Vasco-AC.

No primeiro semestre desta temporada, o estádio de Xapuri recebe três partidas do estadual, mas com capacidade de público reduzida para 500 torcedores.

A estreia da Amax no estadual do próximo ano está agendada para o dia 11, às 20h (local), contra o Plácido de Castro, na Arena da Floresta.

 

Manoel Façanha


Rio Branco, AC – Amax e Vasco da Gama fizeram no sábado (30), no estádio Álvaro Felício Abrahão, suas respectivas despedidas da disputa do Campeonato Acreano, num jogo de poucas emoções e com o grito de gol guardado para os dois lados.

Com o resultado, o Vasco da Gama garantiu matematicamente sua permanência na elite do futebol local. O clube chegou aos 11 pontos e não pode ser mais alcançado pelo Náuas, último colocado na tabela, com sete pontos. Já a Amax fechou o torneio na quinta posição, com 19 pontos ganhos, mas sem vencer nenhum dos três jogos realizados diante do seu torcedor.

No confronto do sábado (30), o atacante Marcelo Brás perdeu a oportunidade aumentar o número de gols na temporada, mas passou em branco, assim dividindo a vice-artilharia do torneio com outros três jogadores: Neném (Galvez), Evandro Russo (Rio Branco) e Renan (Plácido).

Coluna do Dandão

40
Um dia desses, um acadêmico de jornalismo me entrevistou via internet. O tema principal das perguntas dele era o futebol acreano. Fui dando as...